7 coisas que ninguém te diz antes de contratares uma agência de social media

Já pensaste nas coisas que ninguém te diz antes de contratares uma agência de social media?

Se estás a ler este artigo, acredito que nunca tinhas pensado nisto.  Mas agora a curiosidade não te deixou seguir sem ler.

Escolher uma agência de social media é uma tarefa difícil e desgastante – sei disso. Ter de escolher candidatos, fazer reuniões com eles, entregar briefings e responder a mais questões, analisar milhares de propostas… Tudo isto para, no final, escolher uma agência de social media – que pode até nem ser a mais acertada.

Mas se te contassem algumas coisas antes de escolheres a tua próxima agência de social media, não seria tão difícil acertar – e concretizar as tuas expectativas.

Por isso, selecionei 7 coisas que ninguém te diz antes de contratares uma agência de social media. Assim, acredito que a tua próxima escolha não será tão difícil.

1 – A agência não vai trabalhar a 100% para a tua marca

Muitas empresas, quando contratam uma agência, pensam que esta será apenas uma extensão da sua equipa de marketing.

E até é – mas não na totalidade.

As agências de social media agregam em si conhecimentos específicos sobre a área, que internamente são difíceis de adquirir e nutrir. Isto dos social media muda do dia para a noite e manter-se a par é uma dificuldade.

Mas têm este senão: não estão a trabalhar a 100% para a tua marca. Se internamente é quase mecânico pedir à equipa de marketing que faça um story naquele momento, ao trabalhar com agências não é tão fácil.

Claro que elas estarão disponíveis para ajudar, mas não trabalham a 100% para a tua marca. Têm de dividir o seu trabalho por outros clientes.

Por isso, ao contratar uma agência, é preciso ter em mente este período de carência. 

2 – Não existem fórmulas mágicas

Em reuniões iniciais com futuros clientes, é comum perguntarem “qual é a expectativa de crescimento?”. E deixa-nos inquietos saber que se espera que a agência prometa mundos e fundos para conquistar o cliente.

Mas neste caso, é preciso pensar: se a agência não tem acesso aos dados atuais da tua plataforma (que se pressupõe que sejam obtidos já numa fase criação da estratégia), como pode prometer com 100% de certeza o que quer que seja?

E mais: mesmo tendo acesso, prometer a 100% é quase impossível.

Para construir objetivos que sejam minimamente realistas, as agências de social media necessitam fazer uma auditoria aos seus social media.

Elas podem até enviar dados que as plataformas indicam como “resultados expectáveis de campanhas”.

Mas mesmos esses dados são meras estimativas, que vão depender da estratégia implementada, dos conteúdos criados, do teu público-alvo e do próprio sector – fatores estes que a Meta, Google e outras plataformas de publicidade não têm em conta nas estimativas dadas. 

Mesmo que a proposta seja tentadora, lembre-se: a frustração que sentirá quando não conseguirem entregar aquilo que estão a prometer não será nada tentadora.

3 – Os resultados não aparecem de um dia para o outro

Eu sei: era muito bom que acontecesse – mas não é verdade.

Por muito que os social media vivam do imediatismo, os seus resultados não aparecem a esse passo.

A agência pode ser muito competente, ter as pessoas certas, trabalhar da forma perfeita. Mas os resultados vão demorar a aparecer.

As vendas não vão aumentar imediatamente, a interação com a marca também não, e o ROI muito menos.

Especialmente em marcas que estão a começar a sua jornada nos Social Media, os resultados não vão aparecer de um dia para o outro. Isto porque tudo o que será feito vai precisar de ajustes, encontrar a fórmula que se adequa àquela marca em específico.

Na Social Ninjas, costumamos gerir as expectativas dos novos clientes com esta timeline:
1 a 3 meses: Construir a marca nos Social Media, com resultados menos significativos

4 a 12 meses: Aqui começam a aparecer os primeiros resultados, normalmente traduzidos em seguidores e interação nas redes sociais ou com artigos de blog.

12 a 24 meses: É expectável um crescimento substancial de tráfego, tanto para website como lojas físicas, aumentando assim o número de conversões.

4 – O tamanho da Agência de Social Media importa

Para escolher a agência perfeita para o caso da tua marca, a dimensão será um fator importante.

Por muito que ninguém te diga isto antes de contratar uma agência de social media, a dimensão da agência pode mesmo influenciar tanto a facilidade de trabalho como os resultados que vais obter. E escolher o tamanho perfeito é um desafio (mas vou tentar ajudar).

Isto não é regra, mas normalmente as agências maiores, com uma grande lista de clientes, podem não ter tanto tempo para dedicar ao teu negócio.

A tua marca será mais uma no meio de tantas outras, o que pode prejudicar também a personalização do serviço e do conteúdo.

Contudo, este tipo de agências têm mais experiência e meios para concretizar os teus projetos.

Já as agências mais pequenas terão menos meios para conseguir concretizar todos os teus projetos.

Mas acabam por compensar na vontade de fazer acontecer. Porque não serás mais uma marca no meio de muitas: para aquela agência, poderás ser um projeto único e ela trabalhará arduamente para conquistar os teus objetivos. Nas agências mais pequenas, a personalização e a proximidade com a marca são o ponto chave para a subsistência do negócio – e elas sabem disso.

E quando não souberem fazer, serão as primeiras a dizer-te que não será possível e a encaminhar-te para outra solução.

Por isso, para escolheres a agência certa, terás de analisar aquilo que pretendes e valorizas – se mais conhecimento ou dedicação – e escolher o tamanho certo.

5 – Provavelmente o que precisas não é de uma agência de social media

Este é realmente um ponto que quase ninguém te diz sobre as agências: tu provavelmente não precisas de uma.

As agências são uma ótima forma de poupares 2 coisas: tempo e dinheiro. Elas farão a maior parte da pesquisa e trabalho por ti, estarão atentas às tendências e têm mais expertise.

E no final de tudo, não terás de lhes pagar seguro de saúde, a segurança social e IRS ou benefícios de negócio, como terias de fazer a um Social Media Manager contratado internamente.

Ainda assim, por muito que queiras, uma agência nunca conhecerá o teu negócio como alguém se trabalhasse a 100% para ti. Elas não conseguirão acompanhar todas as particularidades que surgem no teu negócio.

Há mais escolha além das agências, desde freelancers, a Social Media Managers ou até mesmo a consultores de Social Media. Todas com as suas particularidades e com os seus prós e contras.

É neste sentido que posso afirmar com 100% certeza: provavelmente não precisas de contratar uma agência para conseguires estar nos social media.

6 – Em casa de ferreiro, o espeto não pode ser de pau

Aqui vai uma dica que te vai ajudar a escolher uma boa agência (e que ninguém te conta) – as agências de social media que trabalham bem os seus social media serão tendencialmente melhores a desempenhar a sua função.

E porquê?

Porque estão atentas ao que acontece neste mundo digital e testam muito do que fazem para os clientes, para conseguirem entregar bons resultados nos seus próprios meios de comunicação.

No caso das agências, aquelas que se enquadram na expressão “em casa de ferreiro, o espeto é de pau” terão mais dificuldade em saber ao detalhe todas as mudanças das plataformas (que, em diversos casos, são mudanças milimétricas, mas que impactam fortemente os resultados).

As agências que trabalham os seus social media com regularidade e diversidade conseguem antecipar e detetar com maior facilidade as mudanças de algoritmos, das próprias plataformas ou mesmo de tendências.

Por isso não: o espeto não pode mesmo ser de pau!

7 – Os social media são apenas uma parte do puzzle do marketing

O último (mas não menos importante) ponto que queria trazer-te é: não existe uma estratégia de social media, mas sim a estratégia da tua marca.

Durante muito tempo – e ainda hoje acontece – as empresas dividem e tratam os veículos digitais em departamentos separados do marketing mais tradicional.

Mas para a agência de social media conseguir trabalhar a tua marca, ela precisa de ter uma visão holística daquilo que pretendes para o teu negócio. Necessita ter acesso a detalhes importantes sobre a tua estratégia de marca, para conseguir trabalhar lado a lado contigo.

Neste ponto, algo que as agências também falham é em não perguntar. Muitas delas recebem briefings das marcas e avançam, sem analisar profundamente se aquele briefing é o suficiente para construir uma proposta consistente e alinhada com a marca.

Se uma agência não te pedir um de-briefing, esse tem de ser um sinal de alerta – uma red flag. Porque se não perguntam, muito provavelmente não têm interesse em saber mais da tua marca. Serás mais uma no meio de muitas e estarás a perder o teu tempo com essa agência.

E estas são apenas 7 coisas que ninguém te diz antes de contratares uma agência de social media.

Já é um começo para avançares mais seguro na escolha de uma agência de social media que será o teu parceiro de negócio.

Estando sempre atento a todos os sinais, e tendo em mente estas 7 coisas, acredito que farás sempre boas escolhas.

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

14 soluções para ultrapassares os principais desafios de um Social Media Manager sem dores de cabeça.👇